Mylena, uma "estrela" na Cia. Verás.

 

"Desde pequena o teatro esteve presente em minha vida. Comecei na escola, com o Orly e a Isabelle, até o dia em que fui convidada a participar da Cia. Verás. Aceitei na hora.

Infelizmente ainda tive que esperar dois anos pra poder entrar na Cia. Foram anos de ansiedade, até que, enfim, chegou o grande dia.

Até hoje me lembro de como foi esse primeiro dia tão esperado. Aquele frio na barriga e aquela cara de assustada ao olhar meninas tão mais velhas e tão mais experientes que eu. Um susto passageiro, um dia de ensaio já foi suficiente pra eu me sentir mais do que confortável e acolhida.

Lembro de todos os personagens, alguns, lembro até as falas. Lembro da ansiedade esperando chegar as quartas e sextas-feiras, dias de ensaio. Lembro que as horas passavam rápido demais, achava uma grande injustiça, tanto tempo de espera, pra passar tão rápido assim?

Lembro da alegria e da paixão que sentia quando pisava no palco e quando olhava a plateia lotada. Lembro do amor que o Orly e a Isabelle sempre demonstravam pela Cia.  e por todas do elenco.

E hoje, lembrando de tudo isso vejo como valeu a pena. Que experiência boa. Que sensação boa lembrar de tudo isso.

Muito do que sou hoje é reflexo de tudo que aprendi há 6 anos atrás, a responsabilidade, a criatividade, a memorização, a desenvoltura na fala, a integração com as pessoas, tudo isso aprendi na Cia. e ainda carrego comigo.

Posso afirmar com toda a convicção de que o teatro ensina muito mais do que as experiências vivenciadas no palco, ensina uma melhor visão de mundo, e eu tive o imenso de prazer de viver isso na Cia. Verás.

Nesse momento, Agradeço ao Orly e Isabelle por toda a confiança, apoio e carinho demonstrado nesses 10 anos compartilhando o teatro comigo."

 

Mylena Paes

Participou das seguintes montagens: "Putz, a menina que buscava o sol", "O pequenino grão de areia", "A ver estrelas", "Pollyanna", "Ao pé da letra", entre outras.

Mariana Kszan "uma princesa" na Cia. Verás

 

"O teatro entrou muito cedo na minha vida, mas foi quando fiz 10 anos que passei  a fazer parte desse grupo maravilhoso chamado Companhia Verás.

Como era tão nova, não compreendia que tal lugar mudaria minha vida tanto quanto sei que mudou.

Hoje, vejo que foi  ela que me tornou alguém que se expressa e não que se esconde, foi o que me ensinou fazer, e não esperar que as coisas fossem feitas, foi o que me incentivou a ser ouvida ao invés de esconder minha voz, foi o que me incentivou a me conhecer e conhecer os meus limites, e, o mais importante, me ensinou que preciso do teatro pra ser feliz!

Hoje, só me resta gratidão por essas e tantas outras coisas que aprendi e que nunca vão sair de mim! Parabéns pelos 20 anos desta linda Companhia e muito obrigada!!!"

 

   

Mariana Kszan participou das seguintes peças: "Pollyanna", "Ao pé da letra", "A revolta dos zíperes", "História de lenços e ventos", "O baú da inspiração perdida", "O fantástico mistério de Feiurinha", entre outras.


Julia "ao pé da letra" da Cia. Verás

“Determinação, foco, responsabilidade, trabalho em equipe, liderança e dedicação: palavras que indicam uma parte das muitas coisas que aprendi e desenvolvi fazendo teatro.

Amei e aproveitei cada momento na Cia Verás e nela, passei os melhores anos da minha vida. Sentia um prazer imenso todas as vezes que estava no palco e, após algum tempo tendo aulas com o Orly e a Isabelle, descobri que o teatro é a minha maior paixão.

É difícil expressar em palavras tudo que a cia Verás significou para mim. Aprendi muito e conheci pessoas fantásticas. Sinto muito orgulho por ter feito parte dessa maravilhosa companhia que me proporcionou tantos momentos felizes e me ensinou tanto.”

 

Julia Rotstein

Participou das montagens: "Ao pé da Letra",  "A revolta dos zíperes", "História de Lenços e Ventos", "O baú da inspiração perdida" e o "Fantástico mistério de Feiurinha", entre outras.

Lydia no "baú da inspiração" da Cia. Verás

Acho que existe a Lydia pré Companhia Verás e a Lydia pós Companhia Verás.

A Lydia de antes nunca se voluntariaria para ser a primeira a apresentar um trabalho.

Essa Lydia jamais conversaria despojadamente com alguém que acabasse de conhecer.

Ela não teria subido nos palcos dos maiores teatros da cidade, não teria vivido tantas outras histórias.

Deixaria de conhecer muita gente incrível de verdade, até a melhor amiga.

Não saberia que nasceu pra arte, não teria se quer escolhido o curso que escolheu na faculdade.

Ainda diria “eu nunca saí do Brasil”.

Seria mais uma pouco frequente pessoa na plateia, sem conhecer a magia que é fazer teatro com um grupo sensacional.

Ainda bem que só usei o futuro do pretérito.

 

Lydia de Souza participou das seguintes montagens: "Ao pé da letra", "História de Lenços e Ventos", "O baú da inspiração perdida", "O fantástico mistério de Feiurinha", "A caçadora de borboletas", "Da Metade do Caminho ao País do Último Círculo", entre outras.

Jessica "na onda" da Cia. Verás

 

Assim que chegava para a aula, quase me escondia atrás das cortinas, não era mesmo professor?

Tinha vergonha de tudo, tímida ao extremo, mas a experiência que tive na Cia Verás, e todo apoio e aprendizado que tive com o Orly e a Isabelle me ajudaram a crescer, desenvolver e me fizeram perceber que eu era capaz de muita coisa.

Hoje eu vejo que sou uma pessoa completamente diferente daquela menina que chegou com medo de olhar nos olhos de quem estava em volta, que achava não ter nenhuma capacidade de pisar em um palco e representar, mas que foi curiosa, tentou e conseguiu.

Na escola, as pessoas percebiam a minha evolução, minha desenvoltura na fala, o quanto eu estava com mais coragem de enfrentar o que viesse, e muito mais feliz.

Sem essa experiência eu não estaria onde estou, com muitos amigos importantes que fiz no teatro, com muita bagagem, muito conhecimento, e amando cada vez mais a arte de representar!

 

Jessica Melech participou na Cia. Verás da peça "O pequenino grão de areia".